Santuário de Caravaggio Canela RS

Brasão da Paróquia de Canela RS

História

VEJA A MATÉRIA DE 75 ANOS SOBRE JUBILEU DE BRILHANTES

A construção da Igreja Matriz de Canela teve inicio em 1953 com projeto do Arq. Bernardo Sartori; em 1941 os alicerces já estavam bem adiantados; em 1955, ficou definido que a nova Igreja seria revestida de pedra basalto; em 1964 foram concluídas as paredes ao redor da antiga Igreja e então se deu a demolição da mesma; em 1965 foi realizado a colocação do telhado e no ano seguinte a campanha dos vitrais que foram doados por pessoas da comunidade; o forro foi colocado em 1978 e em 1982 o piso em pedra basalto; em 1987 foi colocado a porta em madeira mogno com escultura gótica de Walter Frasson.


    A “Catedral de Pedra de Canela” como é conhecida, possui estilo gótico, a Igreja Matriz da cidade, está situada bem no centro de Canela, na Praça da Matriz e atualmente é um dos pontos turísticos mais visitados do Rio Grande do Sul.


  A Igreja tem 65 m de altura e um carrilhão de doze sinos de bronze, que leva o nome de 'Carrilhão da Independência' e que foi fabricado pela fundição Giacomo Crespi, na Itália, e aqui instalado em 1972. O mesmo ficou sem funcionar por cerca de vinte anos e no final de 2005 voltaram a soar.


    O Cônego João Marchesi foi uma das principais figuras da história da comunidade católica canelense. Ele foi o grande idealizador da Igreja Matriz e participou desde a primeira Romaria e Festa em Honra a Nossa Senhora de Caravaggio. Seu sepulcro, no interior da Igreja, recebe muitas flores.


    Outra verdadeira obra de arte é o altar esculpido em madeira pelo uruguaio Júlio Tixe, como tema da escultura: a Santa Ceia.


  A Via Sacra, que ornamenta os dois lados internos da Igreja Matriz, foi confeccionada por Pablo Orona Herrera, escultor e restaurador de arte sacra. Os quadros são feitos de madeira e argila, tendo ao fundo pintura sobreposta de imagens em argila.


    Os coloridos vitrais que iluminam a Catedral de Pedra de Canela representam a Ladainha de Nossa Senhora.


  No altar, três painéis pintados pelo artista gaúcho Marciano Schimitz retratam a aparição de Nossa Senhora, a Alegoria dos Anjos e a Anunciação. O mesmo artista assina os brasões dos quatro evangelistas.


    Nossa Senhora de Lourdes foi escolhida padroeira da Paróquia pela comunidade canelense. A Paróquia Nossa Senhora de Loudes foi fundada em 1937.


DESCRIÇÃO DOS SINOS DA IGREJA DE CANELA-RS

CARRILHÃO DA INDEPENDÊNCIA

O conjunto de sinos denominado “Carrilhão da Independência” foi doado à Igreja de Canela por João Bolognesi, em memória e cumprimento da vontade de sua saudosa esposa dona Gilda T. Bolognesi. Este conjunto de 12 sinos denomina-se, pois, Carrilhão da Independência,  porque sua inauguração oficial na torre da Igreja Matriz de Canela realizou-se no dia 07 de setembro de 1972, data do Sesquicentenário da Independência de nossa Pátria; porque nos apresenta, em alto relevo, não somente a vida religiosa do País, no Estado e no Município, como acontecimentos e vultos de nossa Pátria, a saber: a cristianização dos índios, a efígie de Dom Pedro proclamando a Independência, o Monumento do Ipiranga, a Transamazônica, a união e integração nacional, através das obras surpreendentes do Ministério dos Transportes e Telecomunicações; porque nos mostra os vultos governamentais daquela época, nas pessoas do Gen. Emílio Garrastazú Médici e Cel. Euclides Triches, a projetar o País no concerto das grandes nações, e figuras inesquecíveis do passado, como o presidente Getúlio d. Vargas, a dar início da grande arrancada para o “milagre brasileiro”, num processo de desenvolvimento sem paralelo na história do mundo; porque além das imagens dos Santos Padroeiros da Pátria, nos expõe as armas da República, do estado e do Município, demonstrando a ação construtiva da Igreja no decurso da história da Pátria; e porque, finalmente, este carrilhão, representante da voz de Deus e de sua Igreja, no seu bimbalhar festivo, continuará vigilante a orientar a Pátria e defende-la de seus inimigos internos e externos, mantendo-a INDEPENDENTE.

O CARRILHÃO
É um concerto de 12 sinos fabricados pela Fundição Giacomo Crespi, em São Paulo, fundada em 1500, em Cremona, na Itália, e transferida ao Brasil em 1958.

1º SINO – Pesa 970 quilos, é de nota musical “MI BEMOL”. Na primeira face apresenta o casal Bolognesi, com os dizeres: CARRILHÃO DE 12 SINOS, OFERECIDO POR JOÃO BOLOGNESI À IGREJA MATRIZ DE CANELA (RGS), EM MEMÓRIA DE SUA SAUDOSA ESPOSA GILDA TANELLO BOLOGNESI – 26-05-1972. Na segunda face aparece o Papa Paulo VI, que, após o falecimento de João XXIII, seguir os trabalhos e realizou o Concílio vaticano II. Na terceira face aparece o retrato do cardeal Vicente Scherer, comemorando o Jubileu de Prata Episcopal de s. Emcia. A quarta face apresenta o Côn. João Marchesi, pároco naquela ocasião, desde 04\02\1945, idealizador e realizador da monumental igreja de Canela. Ao redor da orla da boca deste sino podem ser lidos estes dizeres: “Vivos voco, mortos plango, festa decoro, fulgura frango”, inscrição em latim que quer dizer: “Convoco os vivos, choro os mortos, alegro as festas e afasto os raios”.

2º SINO – Nota musical “FA”, pesa 680 quilos. É dedicado aos santos padroeiros:
Nossa. Sra. Aparecida, padroeira do Brasil, protegei a Nação Brasileira;
São Pedro Apóstolo, padroeiro do Estado do Rio Grande do Sul, protegei a Sentinela Avançada do Gigante Brasileiro;
Nossa. Sra. Madre de Deus, padroeira da Catedral, no bicentenário da Primeira Paróquia de Porto Alegre;
Nossa Sra. de Caravaggio, de Mãos erguidas levantamos a ti uma prece perene, em Saiqui, pelo descanso eterno da piedosa alma de Gilda Bolognesi, dobrando este sino da nota “FA”.

3º SINO–Nota musical “SOL” pesa 485 quilos. Apresenta as Armas da República, com homenagem ao Presidente Gen. Emílio G. Médici. Traz, ainda, as armas do estado do Rio Grande do sul, homenageando o Governador Cel. Euclides Triches; o Escudo de Canela, com uma homenagem a todos os benfeitores da monumental Igreja Matruz de Canela, e o monumento do Ipiranga, comemorando o Sesquicentenário da Independência do Brasil.
Leva o nome de Pedro Bolognesi.

4º SINO – “LA BEMOL”, pesa 410 quilos. Apresenta a imagem de Nossa Sra. de Lourdes, padroeira de Canela, que recompensará, nesta vida e na outra,  o generoso doador destes sinos, João Bolognesi. Noutra face está gravado o Emblema do Sínodo, celebrando o Sínodo da Arquidiocese de Porto Alegre, com o povo de Deus em marcha para a casa do Pai. Leva o nome de Lina M. Bolognesi.

5º SINO – “SI BEMOL”, pesa 295 quilos. Leva uma homenagem ao inesquecível presidente Getúlio Dornelles Vargas, e apresenta o Monumento do Imigrante Italiano, em Caxias do Sul, lembrando os beneméritos construtores da grandeza da Pátria brasileira. É dedicado a Heitor E. Bolognesi.

6º SINO – Nota musical “DÓ”, pesa205 quilos. Apresenta a imagem do Papa João XXIII idealizador do Concílio Vaticano II, o papa da União Cristã e da Bondade Suma. Leva o nome de Higinio Bolognesi.

7º SINO – Nota musical “RÉ” pesa 140 quilos. Lembra o Sofrimento Humano e traz o nome de Maria Lúcia Bolognesi.

8º SINO – Nota musical “MI BEMOL”, pesa 120 quilos e tem o nome de Antônio L. Bolognesi.

9º SINO – Nota musical “FA” pesa 85 quilos e é dedicado ao Dr. Rudi T. Bolognesi.

10º SINO – Nota musical “SOL” pesa 60 quilos. Chama-se Lourdes Bolognesi.

11º SINO – Nota musical “LA BEMOL”, pesa 50 quilos e traz o nome de Dr. Nelson A. Bolognesi.

12º SINO – Nota musical “SI BEMOL”, pesa 35 quilos, com o nome de Remí F. Bolognesi.


Praça da Matriz, 69 – Centro – Fone: (54) 3282 1132 – Cep: 95680-000 - Canela – Rio Grande do Sul – Brasil


Paróquia Nossa Senhora de Lourdes